sábado, 25 de agosto de 2007

Maurício Donato e minhas dores no pé.


Maurício Donato é a causa da minha dor nos pés. Não hoje, ontem.
Tudo porque ele não poderia ser ele se não nos passasse trabalhos que podemos chamar de "como fazer colegas de sala se odiarem em apenas duas semanas". A idéia do homem que adora fazer perguntas que abalam estruturas e que sempre nos são relatadas com toques de exagero e mentira foi fazer seus belos alunos se locomoverem do endereço mais legal de São Paulo (Paulista, 900), para um lugar remoto, no caminho da praia e ao lado do metro Jabaquara (Centro de Exposições Anchieta, ou whatever o nome do lugar).
A desculpa que ele encontrou? A feira de tecnologia Broadcast(ing) and Cable, que em 3 dias juntou o que há de melhor em tecnologia audiovisual, da pré-produção à pós. Nós tinhamos que ir até lá e pesquisar com quem fabrica e vende essas coisas muito loucas e high tec informações desde funcionalidade dos equipamentos até os preços propriamente ditos, de venda e locação.
Apesar de ter caído no grupo do Leo Otsuka que é sinonimo de nota 10 e de outras pessoas bacanas, o tema que nos foi sorteado não é tão bacana assim: captação e pós de audio, software e hardware. O audio sofre o maior preconceito e é deixado de lado, esquecidinho... coitado. Saber disso eu sempre soube, mas não pensei que a coisa era tão séria assim. Ok, ele não é tão esquecido assim... tinha uns microfones de mão lá da Sennhein-bla bla bla custava 11.000 reais. Um microfone!
Com uma credencial no peito que dizia (vou tentar fazer um esquema):

Tara Hardcore (Nome)
Cásper Líbero (Empresa)
=^.^= (Cargo)

Passei cerca de 3 horas e meia em pé, indo de um lado pro outro, tentando descobrir se havia ou não algum outro stand além daqueles 3 primeiros que eu e a Helda tinhamos encontrado logo que entramos na feira. Não havia.
A dor no pé agora não doi mais e apesar do cansaço o dia valeu, porque não é sempre em que eu posso ser Tara Hardcore, Hosana Nasal Turas e Felicia Dantas, assim, uma seguida da outra. Além de conseguir vários brindes. Não podemos esquecer que mexer com cameras e gruas caríssimas como se fossem brinquedos não é algo banal e corriqueiro, ou seja, foi do caraleo.

2 comentários:

glauber disse...

É CLARO que seu grupo é sinônimo de nota 10, tem um japonês nele!
nós somos a nata da sociedade!
nós, que eu digo, é eu e vc, Lari! ;D

quer uma massagem nos pés?



com a boca

Loverox disse...

que brindes você ganhou???